quinta-feira, 29 de junho de 2017

O que os outros pensam...




 A moça é engraçada, tem um ar sorridente e simpático. É até comentada aqui e ali como sendo uma mais-valia. Um "palminho" de cara é sempre agradável e chama a atenção. Tendo alguma visibilidade no pequeno círculo e toda a gente a conhece. Já ela tem dificuldade em conhecer toda a gente. Ora, não é que a moça não aparece com um moço. Não se sabe se tem moço. E é de estranhar que não tenha moço. Já não tem idade para não ter moço. Se é tão laroca porque não arranja um moço. Sem esquecer que esta situação de não ter moço faz com que ela ande "solta" demais. Os dias iguais, a crise que se mantém, as horas mortas no jardim, as noites longas de pensamentos vazios. Um dia surge uma história que traz muitas questões, que levanta muitas dúvidas, que se sujeita a muitas teses e que ninguém consegue afinal furar até à versão unânime. Desta forma, abrimos caminhos. Caminhos abertos para a que anda à "solta", a visibilidade, a forma como está em todo o lado, as amizades que se criam - sabe-se lá porquê!?!? Pois, só pode ser, como não nos lembramos mais cedo... Então toca a partilhar à boca pequena - ou à boca grande - um boato sem sentido, uma história que só a eles lhe interessa. As histórias inventadas sobre os outros, porque os outros incomodam, porque os outros surgem no meio fechado e pequeno, porque os outros em pleno século XXI deviam ser casados, ter filhos e não andar metidos nestes assuntos de homens.  E como sabemos os boatos são só da responsabilidade das mulheres, os homens nunca lhes dão ouvidos nem os inventam!!!
Right??

quarta-feira, 28 de junho de 2017

terça-feira, 27 de junho de 2017

Coisas que descubro por aí...





Há tempos descobri que em Zagreb existe um museu das relações terminadas, onde se expõe objectos que, de alguma forma, teimam em fazer doer os corações já partidos e ainda não cicatrizados. Os donos do museu aceitam tudo de quem quiser doar, desde ursinhos de peluche a cartas. Por isso, se algum dia a vossa relação amorosa chegar ao fim da sua carreira artística, em vez de atirarem um álbum de fotografias pela janela fora ou pegarem fogo ao montinho de postais que trocaram durante as férias lembrem-se que há alguém que guarda religiosamente todas essas tralhas. E depois, até pode ser que, um dia mais tarde, quando a fúria passar, por acaso apetece-vos ir dar uma grande volta até Zagreb [porque vale muito a pena], vão visitar o museu e relembram, com um sorriso nos lábios, uma velha história de amor.

segunda-feira, 26 de junho de 2017

Dias tristes...




A nostalgia tomou conta de mim...
Sinto-me melancólica, perdida de mim.
Hoje não me peçam sorrisos.
Lágrimas são tudo o que vos posso oferecer neste momento.
A vida continua a fintar-me, a pôr-me à prova e às vezes confesso que não estou à altura.
Hoje é um desses dias.
Apetece-me pura e simplesmente desistir.
Pôr um letreiro em mim a dizer: "Fechado" .
Oscilo entre a vontade de gritar e de me esconder de todos.
A minha paz interior, anda arredia e eu não gosto deste clima de "guerra" de descontentamento...
Sinto-me inútil, impotente, deslocada, estranha e intrusa.
Como se não pertencesse aqui ou a lugar algum.
Sinto que não posso cair, simplesmente porque não tenho ninguém que me ajude a levantar!
A revolta que sinto é tão grande...
A decepção tomou conta da minha alma.
Por isso hoje não me peçam sorrisos.
Seria uma traição à minha dor!..



sexta-feira, 23 de junho de 2017